UNIMED - Sergipe
28 de Maio de 2021

Enfermeira do Hospital Unimed explica a importância e o funcionamento da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar

Com a pandemia, os cuidados básicos de higiene e a forma correta de lavar as mãos são ainda mais necessários. O procedimento, que leva cerca de 01 minuto entre lavar, esfregar e enxugar as mãos, pode salvar vidas. No ambiente hospitalar, no qual temos muitas pessoas recebendo tratamento, há uma área específica para o controle de infecções - a Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH).
 
Nessa última sexta de maio, 28, convidamos a enfermeira da CCIH, Jessica Ramos, para explicar e falar da importância da área no Hospital Unimed. Confira:
 

POST.png

 
UNIMED SERGIPE: No que consiste, efetivamente, o trabalho da Comissão?  
JESSIKA RAMOS: A Comissão de Controle de Infecção Hospitalar é o órgão que elabora e implanta o programa de controle de infecções hospitalares. A CCIH está interligada a todos os setores do hospital, de forma direta ou indireta. Na prática, monitoramos as infecções hospitalares e, em seguida, elaboramos e implementamos ações de prevenção das infecções, além de monitorar os casos de surto e doenças de notificação compulsória. Também avaliamos novos produtos de saúde que serão utilizados e se estão dentro da legislação vigente, bem como a sua forma de uso. Avaliamos e validamos protocolos institucionais junto aos demais setores do hospital, realizamos visitas técnicas internas para avaliação de estrutura, rotinas de trabalho, se estão de acordo com a legislação, as boas práticas de assistência à saúde e a inspeção de fornecedores externos. Ao observar os indicadores relacionados à infecção hospitalar, estamos sempre buscando a melhor qualidade da nossa assistência.
 
US: Maio é um mês que se reforça a importância da CCIH nas unidades hospitalares. O que você pode falar sobre este momento?  
JR: No calendário da saúde, maio é o mês do controle de infecção, mais precisamente no dia 15 de maio que é marcado como o Dia Nacional do Controle de Infecção. Após análise do atual cenário do nosso hospital, iniciamos a realização de ações que, direta ou indiretamente, previnem e controlam as infecções hospitalares. Nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI) realizamos uma ação sobre as precauções, uso de EPI's e higienização das mãos, com a entrega de pequenas bisnagas de álcool gel para os colaboradores como incentivo à higienização das mãos. Também começamos a campanha ‘Siga sua consciência’, que visa trabalhar de forma lúdica a conscientização dos colaboradores assistenciais e/ou administrativos sobre as boas práticas no ambiente hospitalar, em todos os âmbitos de trabalho desempenhados no Hospital Unimed. No aspecto da gestão, temos reuniões com os supervisores de área para definição e atualização de protocolos e treinamento com as equipes de higienização, que somam conosco na batalha contra os microorganismos. Um mês intenso, mas necessário, e continuaremos mesmo quando maio terminar.
 
US: Ainda mais num momento de pandemia, não é mesmo?  
JR: A pandemia nos virou de ponta a cabeça, como seres humanos e profissionais. Lidamos com a dor do paciente, o medo do vírus e as muitas precauções necessárias pra evitarmos a contaminação enquanto cuidamos dos nossos pacientes. A pandemia exige estudo, reuniões, pesquisas, treinamentos para que seja possível continuar dando o nosso melhor e salvando vidas. A Covid-19 é uma infecção que acomete, principalmente, vias áreas e a CCIH também esteve bastante presente nesse momento, para evitar a disseminação da infecção no ambiente hospitalar entre os colaboradores e pacientes que porventura estão aqui com outros agravos de saúde. Além disso, também possibilita o monitoramento de pacientes internos, indicadores de positividade, comunicação direta com a secretaria de saúde, dentre outras iniciativas.
 
US: O que te motivou a se dedicar à área da saúde?
JR: A área de saúde sempre esteve dentro de mim. Não me imagino fazendo outra coisa desde a infância, eu acho. Cuidar das pessoas, ver a evolução delas, através das nossas mãos e com conhecimento poder aliviar a dor de alguém, é um privilégio Divino. A área de saúde, a Enfermagem, na verdade, me escolheu, e sou grata e muito feliz por isso. Exercê-la aqui, no Hospital Unimed, me faz ainda mais feliz.