UNIMED - Sergipe
03 de Agosto de 2021

Colesterol alto só apresenta sintomas após obstrução de cerca de 50% do vaso sanguíneo

png ch.png

O colesterol elevado é uma das principais causas de doenças cardiovasculares. Podendo surgir a partir de fatores genéticos ou por hábitos de vida pouco saudáveis, a doença, que é silenciosa, pode trazer inúmeros prejuízos para a saúde do indivíduo. Todos os anos, no dia 8 de agosto, é celebrado o Dia Nacional de Combate ao Colesterol, como uma forma de chamar a atenção da sociedade sobre os riscos da doença.

De acordo com um estudo realizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), feito com 147 milhões de pessoas em oito países, a maioria da população que têm níveis elevados de colesterol não se trata ou não sabe que apresenta esse problema. A cardiologista cooperada Unimed Sergipe, Dra. Tânia Andrade, explica que há dois tipos de colesterol: o HDL, considerado o colesterol bom, e LDL, considerado um mau colesterol. 

tania.png

“HDL quer dizer colesterol de alto peso, esse H é de high, que em inglês quer dizer grande, alto. No LDL, esse L quer dizer ‘low’ que no inglês quer dizer pequeno. Então, HDL é um colesterol mais pesado, e o LDL é um colesterol de menor peso. A diferença entre eles é que o LDL penetra na parede do vaso arterial e se deposita na camada intima abaixo da camada endotelial e provoca uma reação inflamatória, porque ele não é para estar naquele lugar. Então, o seu organismo envia macrófagos, que são células de defesa, e há uma guerra entre eles. E o que a gente chama de placa de colesterol ou de gordura são os restos do LDL com os restos de macrófagos que foram abatidos nesse conflito e essa placa envelhece, forma células espumosas que vai levantar a camada de endotélio do vaso sanguíneo e começar o processo de obstrução do fluxo. Essa placa mais envelhecida pode sofrer processo de calcificação e o cálcio se depositar e ir deixando essa placa mais enrijecida”, explica Dra. Tânia.

Uma das maneiras mais eficazes de se detectar o colesterol alto é através do exame de sangue. Por este motivo, manter o hábito de consultar um médico periodicamente e realizar exames de rotina pode ser fundamental para este diagnóstico. A partir daí, iniciar um tratamento é imprescindível.

“O que a gente tem de concreto por pesquisa é de que o LDL baixa com medicação, com o uso de histatinas.  Para a gente se proteger desse mecanismo, é necessário reforçar a parede do vaso para que essa parede fique bem cimentada, para que o LDL não penetre. Então, uma pessoa que tem uma vida saudável, que faz exercício e controla seu peso, que tem um controle de estresse para que não tenha picos hipertensivos e surtos de ansiedade, ela está protegendo esse tapete interno, essa camada de endotélio para que ela fique estável e, com isso, o LDL, seja ele em que quantidade esteja circulando, não penetre e não vá iniciar o processo de placa de ateromatose”, afirma a cardiologista.

De acordo com a Dra. Tânia, os sintomas só aparecem quando o vaso sanguíneo apresenta em torno de 50% de obstrução do seu diâmetro. Ou seja, antes disso, o alto colesterol é uma doença silenciosa, reforçando ainda mais a importância de se fazer exames para detectar essas obstruções e, além de poder combater a doença, também iniciar a mudança de hábitos de vida.

“Ter bons hábitos alimentares, fazer exercícios regulares, ter uma higiene mental, manejar melhor as suas ansiedades, controlar isso com meditação, com yoga, com sessões de terapia para escutar e entender melhor o seu corpo e manejar melhor os desafios do dia a dia. Isso vai levar seu corpo num estágio de melhor estabilidade, então, o fluxo sanguíneo estará sem turbilhonamento, sem causar estresse na parede do vaso”, pontua a médica.

Como hábitos saudáveis, a cardiologista aconselha exercícios como caminhadas, andar de bicicleta, natação, treinamentos funcionais em academias, pilates, entre outros. Além disso,  uma dieta equilibrada, sem excessos de gordura e manter o controle de peso é importante objetivo que deve ser alcançado. “Para se tratar, é muito mais do que só engolir um comprimido. Muita coisa deve ser repensada na vida, novas escolhas devem ser feitas para se manter saudável ter o controle do seu colesterol”, 

Fatores genéticos

Além do sedentarismo e do excesso na ingestão de gorduras, o aumento do colesterol ruim também pode estar associado a fatores genéticos. “A hipercolesterolemia familiar é um erro de metabolismo. A pessoa faz tudo certinho e infelizmente tem níveis de colesterol elevado. São rotas metabólicas que, mesmo sem grandes exposições à gordura, você tem uma rota metabólica que favorece a produção. Essa característica familiar exige uma vigilância severa, rígida para se ter um bom controle”. 

Medicina preventiva

Assim como o colesterol alto, que surge silenciosamente no organismo e apresenta os sintomas em fase avançada, outras doenças também precisam de um rápido diagnóstico para início do tratamento. Por isso, a visita regular a um médico e a realização de exames se tornam fundamental para esses diagnósticos. 

Na Unimed Sergipe, seja para check up ou para exames mais elaborados, os clientes contam com um Centro de Diagnósticos equipado para realizar diversos procedimentos. A unidade, que fica localizada em anexo ao Hospital Unimed, no bairro São José, em Aracaju, realiza, no total, 15 procedimentos.

A Unimed Sergipe também está ao lado de seus clientes quando o assunto é medicina preventiva. Com o programa Viver Bem, a operadora de saúde oferece um tratamento humanizado e voltado à promoção da saúde, através de uma equipe multidisciplinar, com ações focadas na qualidade de vida.