UNIMED - Sergipe
05 de Janeiro de 2022

Janeiro Branco: Hospital Unimed oferece apoio psicológico a pacientes e familiares

d6202f98-3a58-4d37-92b1-bb832abb717f.png

Em momentos de fragilidade com a saúde, muitas vezes, não é somente o corpo que adoece. É comum encontrar pacientes que dão entrada nas unidades hospitalares também com a saúde mental abalada. Por este motivo, o Hospital Unimed tem apoio psicológico para pacientes que dão entrada na unidade e também seus familiares.

A psicóloga do Hospital Unimed, Ana Francine de Carvalho, conta que tanto no final, quanto no início de cada ano, cresce a demanda de pacientes que precisam de um acolhimento psicológico. 
20211214085042_61b885123c46f.png

Ana francine.png

"Geralmente, nesta época do ano, existe uma tendência das pessoas ficarem mais reflexivas, e dessa reflexão começam a absorver coisas que aconteceram durante o ano. Neste período de pandemia, existiram muitas perdas, de familiares, de emprego, e no final do ano as pessoas acabam tendo crise de ansiedade e acabam somatizando e vindo pra urgência. Quando há necessidade, o psiquiatra também é chamado para fazer uma intervenção", conta Ana Francine.

Somente em novembro e dezembro de 2021, foram realizados mais de 100 atendimentos mensais. Além dos pacientes que chegam na urgência e, após ser atendidos pelo médico plantonista, são avaliados pela psicóloga, também são atendidos pacientes internados na instituição e é realizado acolhimento a familiares, que são pegos de surpresa com acidentes ou outros tipos de problemas de saúde de um ente querido.

Em geral, pacientes que demandam este tipo de atendimento sofrem de crises de ansiedade e depressão, desencadeados por alguma doença de base.  A psicóloga Ana Francine explica que, para evitar uma crise mais acentuada, necessitando ir ao serviço de urgência, é necessário que a pessoa escute os sinais que o próprio corpo dá.

"Muitas vezes a pessoa já vem apresentando níveis de ansiedade elevados, mas não se escuta. Com o passar do tempo, acontecem alguns gatilhos, como rompimentos afetivos,que culminam em uma crise de ansiedade com somatização. A pessoa não consegue dormir, nem comer, tem ânsia de vômito. Quando chega na urgência, que fazemos o acolhimento, percebemos que isso é mais emocional que orgânico", conta Ana Francine. 

Janeiro Branco

A campanha Janeiro Branco foi criada em 2014 com o objetivo de chamar atenção da sociedade sobre a importância do cuidado com a saúde mental. "Janeiro é o mês de intensificação da divulgação de informações sobre saúde mental,mas a pessoa precisa estar bem com ela mesma todos os meses do ano, 24 horas por dia, só assim conseguirá trabalhar, estar com a família", pontua Ana Francine.