UNIMED - Sergipe
20 de Maio de 2022

Saúde mental: live promovida pela Unimed Sergipe abordou o impacto de crenças limitantes no desenvolvimento pessoal

Catarina Barros durante live.png

Depois da pandemia de Covid-19, que fez as pessoas buscarem formas de proteger a saúde do corpo, outro grande desafio se apresentou à sociedade: a importância de cuidar da saúde mental. Diante deste debate, tão importante e atual, a Unimed Sergipe promoveu na tarde desta sexta-feira, 20, uma live sobre crenças limitantes.
 

A live foi comandada pela jornalista Priscila Andrade, que entrevistou a psicóloga do Unimed Pleno, Catarina Barros. Durante mais de 40 minutos de duração, a live, que foi exibida pela página do Instagram da Unimed Sergipe, abordou os prejuízos que crenças podem acarretar na vida das pessoas.

Entre os assuntos abordados na conversa, a pressão pelo padrão corporal exibido na mídia e o espaço da mulher na sociedade foram destacados como exemplos de crenças que, na maioria das vezes, limitam as mulheres a vivenciarem experiências.
 

"A pressão estética pode ser reforçada pela família ou pela sociedade. Na política, mulheres aprendem que é um espaço apenas masculino, que elas não são bem-vindas ali. Muitas mulheres também se sujeitam a determinados comportamentos no casamento, em que precisam cuidar de tudo, em que a responsabilidade da casa é só dela e todas essas crenças geram um adoecimento" explicou Catarina.
 

De acordo com a psicóloga, o enfrentamento a este tipo de crenças, que acomete grande parte da sociedade atualmente, deve ser feito com ajuda de outras pessoas, inclusive, de um profissional da psicologia.
 

"Não é um processo simples. São crenças que construímos no decorrer da vida e não vamos desconstruí-las da noite para o dia. É importante saber para não se culpabilizar depois. Primeiro, precisamos identificar que crenças são essas, que geram emoções ruins e que vamos repetindo sem perceber. Temos que questionar, pois quando se fala em crença, tratamos de uma verdade inquestionável e tudo que é absoluto deve ser questionado", pontuou a psicóloga.

 

Durante a live, os internautas puderam tirar dúvidas e também contaram relatos pessoais de como crenças limitantes são prejudiciais para o desenvolvimento em diversas áreas da vida. A jornalista também compartilhou experiências observadas através de comentários em suas redes sociais e interação com seu público. Outro tema importante e recorrente também foi abordado: crises de ansiedade
 

"Não podemos deixar de viver coisas pelo medo de errar, pelo medo de não encontrarmos a perfeição, por achar que não somos merecedores de coisas boas. Crenças limitantes afetam muito nossa autoestima. O psicólogo vai ajudar a identificar essas crenças, de onde ela vem, mostrando novas formas de encarar as situações", completou a psicóloga.